quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Diga aos outros quem tu és...

Ontem tive mais uma vez a oportunidade de ir ao show da Laura Pausini com meu marido. O show foi lindo, cheio de sensibilidade e emoções... Com um clima agradável e intimista!
Em determinada parte do show ela disse que aprendeu uma coisa com a avó dela e que ela levou essa lição para sempre: "mostre para as pessoas que vocês amam quem vocês são e o que vocês sentem, mesmo que elas pensem diferente de você. Faça isso antes que seja tarde!".
Essa frase mexeu demais comigo... Eu sou extremamente sensível, choro por qualquer motivo, até com comerciais de televisão... no entanto, quando se tratam dos meus problemas, meus medos, minhas tristezas, guardo tudo dentro de mim!!! Tenho muita dificuldade de falar o que estou sentindo, de mostrar que estou magoada ou precisando da ajuda de alguém... Tenho tentado mudar isso, mas é tão difícil!!!
Hoje estou aqui, refletindo muita coisa, com lágrimas nos olhos e agradecendo a Deus por ter me dado mais um dia para começar a mostrar às pessoas que amo quem sou e o que estou sentindo, antes que seja tarde!!!

Lívia.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

A menina que roubava livros e as questões do meu coração...

Li o livro. Sim, li o livro e me apaixonei pela história, por Liesel, por Max, por Rudy... Cada um deles acrescentou muito em meu coração. O livro é o livro e é riquíssimo em detalhes... Desde que li o livro já se passaram 5 anos... No entanto, o livro deixou marcas em mim, marcas profundas, marcas de reflexão!

Assisti ao filme nessa semana e o ele é maravilhoso. Muito fiel ao livro! Ver a carinha triste e doce de Liesel comove... Eis que me pego novamente pensando em tudo que pensei há 5 anos, porém, agora com uma visão 5 anos mais madura.
Durante o filme chorei algumas vezes, mas foi ao final dele que me debulhei em lágrimas!
Assim que as luzes do cinema se acenderam, fiquei paralisada, sem me levantar da cadeira e chorei!
Chorei por pensar que somos nós, seres humanos, que criamos nossos próprios sofrimentos, nossas próprias dores! Chorei por pensar que apesar de "racionais", nós matamos, roubamos, espancamos, estupramos, ofendemos, por puro prazer. Que prazer é esse?
Em determinada parte do filme, algumas crianças correm felizes com um jornal na mão dizendo que a Inglaterra declarou guerra a eles (alemães). Estavam esperando pela guerra! Será que por serem crianças enxergavam a guerra com inocência? Será que não entendiam exatamente do que se tratava? Será que por serem seres humanos já têm a maldade dentro de si? Ou, como já dizia Rousseau: "O homem nasce bom, mas a sociedade o corrompe."?
Voltando ao filme: chorei por pensar que somos nós que criamos a guerra e depois choramos por nossos mortos, chorei por pensar que nós (nossa política) criamos sistemas que nos deixam mal educados (sem educação, escolas...), inseguros (com medo até de sairmos no portão de nossas próprias casas). Vivemos num mundo onde há fome, há sede, há frio, há sem teto, há pessoas morrendo por falta de atendimento em hospitais públicos, há falta de leitos, há corrupção, há maldade... e tudo isso foi gerado por nós mesmos!
As ondas de calor, as tempestades de neve, as enchentes, a seca... é culpa nossa! Mexemos tanto em tudo e não queremos parar! Onde tem dinheiro, tem também um cheiro fétido de "nem te ligo", de "não estarei aqui daqui 100 anos"!

Bom, chorei e meu coração ficou cheio de dúvidas e de tristezas!

Porém, a menina que roubava livros, roubou também o meu coração! Vale a pena a leitura e vale a pena assistir ao filme!

Lívia.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Olhos Azuis... Será que é difícil conviver com o preconceito?

Essa semana me deparei com um documentário na GNT que me fez refletir acerca de muitas coisas...

Uma professora e socióloga chamada Jane Elliot, inconformada com o preconceito, resolveu mudar a visão de seus alunos da 3a série na década de 60. Fez com que as crianças descobrissem como é conviver com o preconceito e isso mudou a vida de cada uma delas.
Após isso, a professora recebeu ameaças, muitos pais retiraram os filhos da escola ou exigiram que os mesmos não tivessem aulas com Jane Elliot. Com tanta repercussão, a professora percebeu que o preconceito era mesmo muito grande em seu país.
Hoje ela é aposentada e aplica workshops (para adultos) sobre racismo, fazendo as pessoas sentirem na pele o preconceito a que muitos são submetidos até os dias de hoje.
O documentário chama-se "Olhos Azuis" e é uma grande lição. Todos deveriam assisti-lo!
O vídeo mexeu muito comigo. Espero que mexa com vocês também...
É longo, mas vale muito a pena. Caso vocês não possam vê-lo de uma só vez, assistam aos pouquinhos. Voltem quantas vezes quiserem ou acharem necessário, mas assistam...
É demais!!!


Espero que gostem!!!

Lívia.